Cláudio Pinheiro Taboada

Ubaldo Marques Porto Filho

Nascido em Salvador, a 27 de junho de 1972, Cláudio Pinheiro Taboada diplomou-se em economia pela Universidade Católica do Salvador. Fez pós-graduação em planejamento e desenvolvimento turístico na Universidade de Madri, Espanha. Cursou MBA em marketing na Fundação Getúlio Vargas e na Universidade Salvador (Unifacs) passou a lecionar marketing no curso de turismo.

Cláudio Taboada ingressou no setor turístico como estagiário na Bahiatursa. Logo em seguida, antes mesmo da conclusão do curso superior, foi admitido na Secretaria da Cultura e Turismo, como assessor no gabinete do titular da pasta. Na SCT teve a oportunidade de participar ativamente da equipe que elaborou uma proposta pioneira entre os estados brasileiros, de apoio à viabilização de projetos culturais. A iniciativa desaguou na Lei nº 7.015, sancionada pelo governador Paulo Souto em 9 de dezembro de 1996, dispondo sobre a concessão de incentivos fiscais para os projetos aprovados pela Secretaria da Cultura e Turismo. O incentivo foi regulamentado pelo Decreto nº 6.152, de 2 de janeiro de 1997, que instituiu o Programa Estadual de Incentivo à Cultura (Fazcultura). Para comandar o programa, que geraria vultosos recursos alocados à disposição da cultura baiana, o secretário Paulo Gaudenzi retirou da sua assessoria o técnico Cláudio Taboada, que conhecia o projeto desde o nascedouro.

Depois de ter sido o primeiro secretário executivo da Comissão Gerenciadora do Fazcultura, responsável pela implantação e sucesso do programa, Cláudio Taboada trabalhou um ano em São Paulo, como diretor de marketing cultural da Rede Inter Americana de Comunicação. Retornou a Salvador para ser diretor de marketing nacional da Bahiatursa, onde permaneceu de 22 de março de 2001 até a posse na presidência, em 7 de janeiro de 2003. Foi o primeiro estagiário a ser diretor e, depois, presidente da estatal do turismo baiano.

Ao assumir o comando da Bahiatursa, Cláudio encontrou-a com prestígio nacional consolidado. A empresa estava, basicamente, voltada à expansão dos números, ou seja, à ampliação do fluxo turístico. Essa prioridade foi mantida, porém, casada com três novas estratégias, representadas pelos seguintes programas, pioneiros no turismo nacional: Bahia Qualitur, Fidelidade Bahia e Captação Seletiva.

Uma outra frente de trabalho foi o desfecho de uma intensa campanha de marketing, centrada nos destinos turísticos baianos, distribuídos em doze zonas turísticas: Costa das Baleias, Costa do Descobrimento, Costa do Cacau, Costa do Dendê, Baía de Todos-os-Santos, Costa dos Coqueiros, Caminhos do Oeste, Lagos do São Francisco, Chapada Diamantina, Caminhos do Sertão e Vale do Jiquiriçá. Para promovê-los, além das peças promocionais na mídia, a Bahiatursa priorizou ações dentro do calendário de eventos do trade nacional e em alguns eventos especiais de grande repercussão pública, como o Rio Boat Show, Fashion Rio, São Paulo Fashion Week, Adventure Sports Fair, São Paulo Boat Show e Expo Adventure NE. E ainda tem levado aos principais centros emissores de turistas nacionais, programações geradas pela própria Bahiatursa: Seminário Bahia, Opaxorô, Dia da Baiana, Lançamento do Verão, Capacitação Bahia, Encontros Bahia e Road Show Bahia.

Cláudio participou de dezenas de eventos, nacionais e internacionais, principalmente daqueles considerados de calendário. No Brasil são os congressos da Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav), o Salão de Turismo de São Paulo, o Festival de Gramado, o Multiminas, o Centro Oeste Tur e uma série de encontros, workshops e promoções que se realizam nas mais importantes cidades. No exterior os eventos técnicos, mais relevantes para a Bahia, acontecem em Berlim (ITB), Londres (WTM), Milão (BIT), Lisboa (BTL), Madri (Fitur), Barcelona (SITC e EIBTM), Deauville/França (TOP Resa), Buenos Aires (FIT), Santiago do Chile (Achmart) e o Utracht/Holanda (Vakantiebeurs). No exterior a Bahiatursa também tem comparecido com eventos próprios: Show Bahia (Milão), Festival da Bahia (Barcelona), Bahia (Buenos Aires) e Mostra Bahia (Santiago do Chile). Em Nova Iorque participa do “The Brazilian Day” e em Gotemburgo do ‘Momento Brasil na Suécia’. Investiu ainda na conquista de mercados potenciais, nos países do Leste Europeu, da Escandinávia e Ásia.

Como fruto de todas essas ações, a Bahia manteve a liderança no ranking dos estados brasileiros na conquista de importantes premiações nacionais e internacionais. A Bahiatursa tem sido sempre a líder como melhor empresa de turismo, além de emplacar o melhor destino turístico, o melhor espaço para eventos, o melhor hotel para congressos, o melhor resort, etc. Há de se destacar que o sucesso dos programas Bahia Qualitur e Fidelidade Bahia colocaram a Bahia também na liderança da modernização do turismo brasileiro e a Bahiatursa como empresa modelo entre as congêneres do país, passando inclusive a exportar know-how. Vale ainda ressaltar a performance do Portal Bahia <www.bahia.com.br>, apontado como o melhor site de turismo do Brasil.

Na condução dos interesses do turismo baiano, Cláudio Taboada articulou uma série de ações com a iniciativa privada, que redundaram, por exemplo, na ampliação da captação de vôos internacionais e de cruzeiros marítimos, bem como na atração de investimentos destinados à infraestrutura turística. A performance da Bahiatursa passou também a ser avaliada pelos seguintes vetores: competência no planejamento da política turística; eficiência na definição das estratégias mercadológicas; programas pioneiros lançados no mercado nacional; promoção do produto Bahia no mercado internacional; e presença agressiva da Bahiatursa nos principais centros emissores de turistas para a Bahia. Enfim, esses foram os principais ingredientes que nortearam a gestão comandada por Cláudio Taboada.

A comprovação dos êxitos rendeu ao presidente da Bahiatursa o reconhecimento dos trades nacional internacional, pois nos congressos que reuniam a elite do turismo, tanto no país como no exterior, Cláudio Taboada passou a ser apontado como um dos dirigentes mais dinâmicos e eficientes do Brasil no setor turístico. Segundo os analistas brasileiros, da imprensa especializada e dos organismos turísticos, o jovem executivo baiano foi a melhor revelação técnica que o turismo nacional produziu no início do século XXI.

Texto condensado dos livros
‘Bahia, Terra da Felicidade’ (2006) e
‘Família Taboada na Bahia’(2008),
ambos de Ubaldo Marques Porto Filho.