Nelson Almeida Taboada

Ubaldo Marques Porto Filho

Nelson Almeida Taboada é baiano de Salvador, tendo nascido em 17 de maio de 1941. Iniciou os estudos no Jardim de Infância Osvaldo Cruz, no histórico bairro do Rio Vermelho, onde sua família possui raízes que remontam a 1892, ano da chegada do seu avô, José Taboada Vidal, nascido em Cerdedo, na província galega de Pontevedra, Espanha.

Em Salvador, também cursou o primário, no Colégio Nossa Senhora das Mercês, e o ginásio no Colégio Antônio Vieira, tradicional estabelecimento de ensino dos jesuítas. O curso científico foi iniciado em São Paulo, no Colégio Mackenzie, e concluído na capital baiana, no Colégio Antônio Vieira.

No início da década de 1960, Nelson Taboada ficou muito conhecido dos baianos como astro do automobilismo, na época das corridas disputadas no Circuito de Rua do Farol da Barra, em Salvador, que atraiam multidões de espectadores. No dia 18 de março de 1964, o jovem desportista recebeu o diploma de bacharel em ciências econômicas pela Universidade Federal da Bahia.

Em 1967, foi selecionado pela Confederação Nacional da Indústria para fazer um curso no exterior, destinado a jovens executivos, promovido pela Organização Mundial do Trabalho, no Centro Internacional de Aperfeiçoamento Profissional e Técnico da OIT, localizado em Turim, na Itália.

Ainda em Turim, como delegado da Confederação Nacional da Indústria, representou a classe industrial brasileira nas discussões com a OIT visando a renovação dos convênios para aperfeiçoamento técnico de executivos dos países em desenvolvimento.

Vitorioso nos segmentos comercial, industrial e financeiro, o empresário chegou a dirigir um conglomerado formado por 26 empresas, localizadas na Bahia e noutros Estados. Notabilizou-se ainda como dirigente classista. Durante três biênios consecutivos, de 1970 a 1976, presidiu o Sindicato das Indústrias de Cerâmica do Estado da Bahia. Foi vice-presidente do Centro das Indústrias da Bahia e membro, por dois períodos, do Conselho da Indústria da Associação Comercial da Bahia.

No governo de Luiz Viana Filho (1967/71), que deu partida a um vasto programa para a construção de conjuntos populares residenciais, Nelson Almeida Taboada presidiu o Conselho de Administração da Habitação e Urbanização da Bahia S.A. (Urbis), estatal encarregada da execução dos projetos habitacionais do Governo do Estado. Por convite do presidente João Figueiredo, integrou o Conselho do Plano Nacional de Habitação Popular (Planhap).

Também possui relevantes contribuições ao fomento da cultura baiana, iniciadas na década de 1970, quando dirigiu a rede dos Diários e Emissoras Associados na Bahia. Nessa ocasião, atendendo solicitação do ministro Mário Henrique Simonsen, foi um grande colaborador do desenvolvimento do Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral) na Bahia.

Em 2008, fundou e implantou a Casa de Cultura Carolina Taboada, que se transformou rapidamente numa referência para a cultura baiana, tendo o Rio Vermelho como pólo irradiador de suas ações culturais e também sociais voltadas aos mais carentes.

Na presidência dessa instituição, sem finalidades lucrativas, batizada com o nome de sua única filha, Nelson Taboada vem desenvolvendo atividades voltadas às áreas da história, cultura, da literatura e da assistência social destinada aos mais carentes. Em cinco anos de existência, completados no dia 25 de março de 2011, a Casa de Cultura Carolina Taboada patrocinou a publicação de 18 livros. No Rio Vermelho, reduto histórico da família Taboada, a Casa de Cultura Carolina Taboada se faz  presente com colaborações à Paróquia de Sant’Ana do Rio Vermelho e às entidades que atuam nos setores educacional, social, cultural e beneficente.

Tudo isso foi determinante para que a Central das Entidades do Rio Vermelho concedesse ao Presidente da Casa de Cultura Carolina Taboada o diploma de Benemérito da Cultura. Mas, antes desse título, Nelson Taboada já participava da Galeria dos Imortais do Rio Vermelho, um quadro de honra instituído pela Academia dos Imortais do Rio Vermelho (Acirv), para o registro perpétuo das ilustres personalidades do bairro descoberto por Caramuru.

No dia 25 de março de 2010, perante cerca de 300 pessoas que lotaram o Plenário Cosme de Farias, Nelson Taboada foi condecorado pela Câmara Municipal de Salvador com a Medalha Thomé de Souza, a mais alta honraria concedida pela primeira casa legislativa do Brasil.

Nelson Taboada participa de diversas entidades, sendo membro do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, do Instituto Genealógico da Bahia, da Academia dos Imortais do Rio Vermelho, da Devoção do Senhor do Bom Jesus do Bomfim e da Associação Comercial da Bahia. É diretor da Associação Cultural Hispano-Galega Caballeros de Santiago e conselheiro da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil-Bahia e do Conselho de Cultura e Turismo do Rio Vermelho.

É autor do livro ‘Discursos, Artigos & Prefácios’ e coautor em duas obras sobre Diogo Álvares Corrêa, o Caramuru: ‘Proyecto Caramuru Gallego’, editado em espanhol, e ‘Cinco de Outubro, Dia de Caramuru’.

Empresário bem sucedido, que atualmente concentra suas atividades no agronegócio, Nelson Almeida Taboada preside a Terra Norte Empreendimentos Rurais e Comerciais S. A., controladora de fazendas que se dedicam ao cultivo e comercialização de soja, algodão, arroz e milho, localizadas na Bahia e no Piauí.

Salvador, abril de 2013.