José Ramón Taboada Dominguez

Ubaldo Marques Porto Filho

Nascido em 6 de janeiro de 1895, na aldeia de Fitoiro, município de Chandrexa de Queixa, na província galega de Ourense, José Ramón Taboada Dominguez estava com 13 anos quando sua família emigrou para a Argentina, estabelecendo-se em Buenos Aires, onde passou a adolescência e o início da juventude.

Trocando Buenos Aires por Recife, José Ramón Taboada abriu um restaurante na capital pernambucana. Embora bem sucedido nessa atividade, resolveu mudar de ramo e de cidade, desembarcando em 1926 na capital baiana, trazendo na bagagem o capital para abrir uma loja em casa alugada à Santa Casa da Misericórdia, numa rua estreita (esquina com Rua do Bispo) que, com a demolição da Igreja da Sé, em 1933, transformou-se na Praça da Sé.

Nesse imóvel, ele instalou a loja ‘La Favorita’, para vender sombrinhas e guarda-sóis que ele próprio fabricava, na parte do fundo do imóvel, onde também residiu inicialmente, no pavimento superior. O negócio prosperou de tal forma que Ramón se transformou num grande fornecedor de sombrinhas e guarda-sóis para as lojas de Salvador e de cidades do interior baiano. Esses acessórios, muito usados na época, faziam parte da rotina das pessoas, tanto em dias ensolarados como chuvosos.

O fabricante tornou-se o ‘Rei do Guarda-Chuva’. Ficou ainda conhecido como amolador de instrumentos de precisão e cirúrgicos, tendo como principal cliente a Faculdade de Medicina da Bahia. A loja La Favorita, que também vendia produtos de cutelaria, expandiu-se com a abertura de duas filiais, uma na Baixa dos Sapateiros e outra no Comércio.

Tendo investido os lucros na compra de imóveis, Ramón construiu um sólido patrimônio, formado por terrenos em áreas do crescimento de Salvador, como na parte nova do bairro da Graça, e por dezenas de casas. Em Dias D’Ávila comprou uma propriedade que recebeu o nome de Chácara Taboada.

Para o lazer da família, quando o Rio Vermelho ainda se constituía num centro de veraneio, alugou uma casa na Travessa Lydio de Mesquita, bem próxima à Praia de Santana. Gostou tanto do bairro que decidiu sair do sobrado na Baixa dos Sapateiros, passando a morar numa casa que comprou na Rua Almirante Barroso 9, defronte a atual Praça Marechal Aristóteles de Souza Dantas. Depois, para ficar vizinho do Largo de Santana e numa residência maior, comprou o sobrado de número 111 da Rua Visconde de Cachoeira, antiga Ladeira do Papagaio. Aí morou de 1943 até 1947.

O industrial, comerciante e prestador de serviços, faleceu de problemas cardíacos aos 70 anos, no dia 6 de novembro de 1965, em sua residência, na Rua Luiz Anselmo 11, Matatu de Brotas.

Casado com Amélia Enma Josefa Pazo González, José Ramón Taboada Dominguez teve quatro filhos: Élida, Elísia, Amélia e Lydio.

Texto integrante da palestra proferida na
Fundação João Fernandes da Cunha,
em 15 de setembro de 2009.