Clodoaldo Augusto Marques Porto

Ubaldo Marques Porto Filho

Clodoaldo Augusto de Marques Porto nasceu em Salvador, a 7 de setembro de 1884. Seus pais eram Genelício Augusto Marques Porto e Leonor Rosa da Silva Marques Porto. Clodoaldo era neto de Joaquim Augusto Marques Porto, o primeiro membro da família com o sobrenome Marques Porto.

Depois de ter passado a infância e a adolescência em Alagoinhas, onde seu pai era chefe da Estação Ferroviária, uma das mais importantes do Estado, Clodoaldo voltou para Salvador, onde iniciou o curso de medicina, que abandonou para estudar direito, também não concluído.

Tinha grande vocação para a música, tendo sido compositor, pianista, violonista e exímio tocador de bandolim. Na mocidade, destacou-se como nadador e remador do Clube de Regatas Itapagipe.

Nos registros da Associação Atlética da Bahia, fundada em 4 de outubro de 1914,  consta que Clodoaldo Marques Porto, também nominado como ‘Senhor Marques Porto’, exerceu as seguintes funções, num período de cinco anos: diretor de Sport (1917-1919); 2º secretário (1919-1920); e delegado da Associação na Liga Bahiana de Desportos Terrestres, de 1920 a 1921. Também coordenou a elaboração do Estatuto da Associação, que passou a vigorar a partir de 14 de fevereiro de 1921 e participou dos trabalhos da compra e beneficiamento do imóvel onde foi instalada a sede, na Rua Barão de Itapuã 20, Barra.

Apaixonado pelo futebol, foi vice-presidente da Associação Bahiana dos Cronistas Desportivos e juiz de futebol da Liga Bahiana de Desportos Terrestres, tendo apitado vários jogos (exceto os da Associação) realizados nos estádios do Rio Vermelho e da Graça. Em 1º de janeiro de 1931, foi um dos fundadores do Esporte Clube Bahia.

Homem de vasta cultura, era muito consultado por parentes e amigos, notadamente sobre questões jurídicas e literárias. Foi redator de dois importantes jornais de Salvador, O Imparcial e A Tarde.

Clodoaldo aposentou-se como servidor público federal do Departamento dos Correios e Telégrafos. Faleceu no dia 21 de abril de 1964, em Feira de Santana, aos 79 anos. Casado com Maria José Alves de Almeida Marques Porto, deixou três filhos: Ilza d’Almeida Porto, Zilah d’Almeida Porto e Zadir Marques Porto.

Fontes:
1. Árvore Genealógica da Família Marques Porto,
organizada por Enódio Mesquita Marques Porto.
2. Livro ‘História da Associação Atlética da Bahia’,
de Ubaldo Marques Porto Filho