Enódio Mesquita Marques Porto

Ubaldo Marques Porto Filho

Enódio Mesquita Marques Porto nasceu em 19 de janeiro de 1914, na Rua do Açouguinho 8, Pelourinho, centro histórico de Salvador, sendo filho de Júlio Adalberto Marques Porto e Júlia Mesquita Marques Porto. Seu pai era neto de Francisco Marques Porto, o quinto membro da família contemplado com o sobrenome Marques Porto.

Bacharel em ciências e letras pelo Ginásio da Bahia, Enódio diplomou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia, tendo sido o melhor aluno da turma e orador dos formandos de 1936. Ainda estudante de medicina, foi auxiliar acadêmico do Hospital Couto Maia, pertencente ao Governo do Estado.

Enódio Marques Porto radicou-se no Rio de Janeiro, onde desenvolveu uma intensa atividade no magistério médico. Foi assistente de ensino e chefe de laboratório da cadeira de bioquímica da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, de 1943 a 1957. Como integrante do quadro permanente do ensino superior do Ministério da Educação e Cultura, foi professor adjunto da cadeira de bioquímica na Federação das Escolas Federais Isoladas do Estado do Rio de Janeiro (Fefierj), atual Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Unirio.

Foi também professor de cursos de especialização, membro de bancas examinadoras e de comissões julgadoras de concursos e prêmios. Participou de convenções e congressos nacionais e internacionais, defendeu teses, pronunciou inúmeras palestras, participou de dezenas de conferências e publicou trabalhos científicos.

Foi membro do Conselho de Ética da Indústria Farmacêutica, membro da Comissão de Biofarmácia do Ministério da Saúde, membro da Comissão de Ensino da Fefierj, membro do Conselho Nacional de Saúde, membro do Conselho Curador da Fundação Abif e presidente da Câmara Técnica de Medicamentos do Ministério da Saúde.

Na iniciativa privada, o doutor Enódio ocupou os seguintes cargos: de 1945 a 1961 foi diretor científico da Riedel S.A., empresa da indústria farmacêutica; de 1963 a 1981 foi assessor técnico científico da Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica - Abif.

A Grande Enciclopédia Delta Larousse cita o médico e professor Enódio Mesquita Marques Porto como autor de obras relevantes: O Ensino da Bioquímica e a Nova Técnica Pedagógica (1947); Provas da Função Renal (1960); Normas para Divulgação de Produtos Farmacêuticos (1963).

Poliglota, o professor Enódio Marques Porto dominava diversos idiomas, inclusive o grego. Participava de diversas entidades médicas e era sócio-correspondente do Instituto Genealógico da Bahia.

O organizador da Árvore Genealógica da Família Marques Porto faleceu no dia 24 de fevereiro de 1995, aos 81 anos, na cidade serrana de Petrópolis, onde possuía casa de veraneio. Foi sepultado no mausoléu da família, no Cemitério São João Batista, na cidade do Rio de Janeiro, onde residiu durante 58 anos.

Fonte:
Árvore Genealógica da Família Marques Porto,
organizada por Enódio  Mesquita Marques Porto.