Rosita Falcão de Almeida Maia

Ubaldo Marques Porto Filho

Caçula dos nove filhos do casal Antônio de Almeida Souza Filho e Almerinda Falcão de Almeida Souza, por vinte anos Rosita Falcão de Almeida Souza residiu no Rio Vermelho, desde o nascimento, em 5 de dezembro de 1953. Sempre morou na casa de número 5 da Rua Ilhéus, logradouro localizado no loteamento Parque Cruz Aguiar.

Rosita formou-se em direito pela Universidade Federal da Bahia, em 21 de janeiro de 1977, aos 23 anos. Por cinco anos advogou no Extremo Sul da Bahia. Ingressou na magistratura estadual em setembro de 1982, sendo juíza de direito nas comarcas de Santa Terezinha, São Sebastião do Passé, Feira de Santana, Simões Filho e Salvador. Na capital baiana exerceu por um ano a judicatura no Juizado de Trânsito. Em seguida, por nove anos, foi titular da 7ª Vara de Família.

Em março de 2002 passou a responder pela 15ª Vara de Substituições, tendo no período de seis anos substituído diversas vezes os desembargadores Robério Teixeira Braga,Vera Lúcia Freire de Carvalho,  Eduardo Jorge Mendes de Magalhães, Antônio Roberto Gonçalves e Rubem Dário Peregrino Cunha.

Promovida por critério de merecimento, após 25 anos no exercício ininterrupto da magistratura, e aos 53 de idade, a juíza de direito ingressou na corte dos desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, sendo empossada em 5 de outubro de 2007, Dia do Rio Vermelho.

Rosita Falcão de Almeida Maia é casada com o advogado Antônio Roberto Prates Maia e mãe de três filhos, todos advogados: Bruno de Almeida Maia, Lucas de Almeida Maia e Roberta de Almeida Maia Broder.

Texto publicado na página 3 da revista
‘Boletim da Academia’,
editada pela Acirv,
Nº 8 - Julho 2010.