Dias Gomes

Ubaldo Marques Porto Filho

Alfredo de Freitas Dias Gomes, teatrólogo, contista e romancista, nasceu em Salvador, no dia 19 de outubro de 1922. Aos 15 anos, já residindo no Rio de Janeiro, escreveu ‘A Comédia dos Moralistas’, premiada e publicada pelo Serviço Nacional de Teatro. A primeira realização de sucesso no teatro foi a peça ‘Pé de Cabra’, produzida e encenada pelo famoso ator Procópio Ferreira, que a exibiu em várias cidades, de 1942 a 1944.

Paralelamente à criação de textos teatrais, Dias Gomes trabalhou em emissoras de rádio, como redator e diretor. A notoriedade foi obtida em 1959, quando escreveu ‘O Pagador de Promessas’, ambientado na Bahia, que estreou no Teatro Brasileiro de Letras, em São Paulo, sob a direção de Flávio Rangel. O autor ganhou projeção internacional, pois, traduzida para vários idiomas, transformou-se numa das peças brasileiras mais encenadas no exterior.

Adaptada para o cinema, pelo próprio Dias Gomes, ‘O Pagador de Promessas’ - dirigido por Anselmo Duarte e estrelado por Leonardo Vilar, Glória Menezes, Norma Benguel, Dionísio Azevedo e os baianos Antônio Pitanga (Salvador), Othon Bastos (Tucano) e Geraldo Del Rey (Ilhéus) -, ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1962. O filme, com locações em Salvador, muito contribuiu na difusão da imagem da Bahia pelo mundo.

Uma outra obra de grande sucesso de Dias Gomes, também ambientada em cenário baiano, foi ‘O Bem Amado’. Após encenada em teatro (1962), virou telepeça especial na TV Tupi do Rio de Janeiro (1964) e telenovela na Rede Globo. Exibida de 24 de janeiro a 9 de outubro de 1973, constituiu-se num marco da televisão brasileira, por ser a primeira novela inteiramente colorida e rica em personagens marcantes, como o prefeito Odorico Paraguaçu, interpretado por Paulo Gracindo.

O sucesso foi tão grande que a Globo transformou ‘O Bem Amado’ num seriado, exibido uma vez por semana, de 1980 a 1984, com o mesmo elenco de atores da novela: Paulo Gracindo, Lima Duarte, Jardel Filho, Emiliano Queiroz, Zilka Salaberry, Ida Gomes, Maria Cláudia, Dirce Migliaccio, Dorinha Duval, Ruth de Souza, Ana Ariel, Sandra Bréa, Carlos Eduardo Dolabella e Milton Gonçalves, entre outros. Cenas foram filmadas na Bahia e muito contribuíram na divulgação da Terra da Felicidade, onde, na imaginária cidade de Sucupira, ninguém morria.

Reconhecido como um dos maiores dramaturgos brasileiros, autor de doze telenovelas produzidas pela Globo, o baiano Dias Gomes escreveu vários livros. Destacaram-se como de maior êxito entre os leitores os seguintes títulos: O Pagador de Promessas; O Bem Amado; Odorico na Cabeça; Sucupira, Ame-a ou Deixe-a; O Rei dos Ramos; O Santo Inquérito; Amor em Campo Minado; O Berço do Herói; Campeões do Mundo; A Invasão; As Primícias; e Vargas.

Em 16 de julho de 1991, o escritor foi empossado na Cadeira 21 da Academia Brasileira de Letras. Sucedeu ao baiano Adonias Filho e foi saudado pelo acadêmico Jorge Amado. Dias Gomes faleceu aos 76 anos, num acidente de trânsito, na cidade de São Paulo, na madrugada de 18 de maio de 1999.

-----------------------------------------------
Texto publicado na página  72 do livro
‘Bahia, Terra da Felicidade’,
de Ubaldo Marques Porto Filho,
editado em 2006.