Eneida Cavalcanti

Ubaldo Marques Porto Filho

Eneida de Almeida Cavalcanti nasceu em Salvador, a 30 de novembro de 1939. Em 1962, diplomou-se em filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Como professora, obteve autorização do Ministério da Educação e Cultura para lecionar as disciplinas filosofia, psicologia e história. Obteve também o Certificado de Proficiência em Inglês, mediante concurso de provas da University of Michigan, realizado em Salvador, na Associação Cultural Brasil Estados Unidos. Fez mestrado em ciências sociais e em administração pública, ambos na Ufba.

Dedicando-se ao magistério, Eneida lecionou filosofia, psicologia, história e inglês em diversos colégios do ensino médio, em Salvador e Feira de Santana. No ensino superior foi professora na Universidade Federal da Bahia e na Faculdade Baiana de Ciências.

A professora Eneida escreveu diversos artigos e monografias históricas, participou de várias pesquisas acadêmicas, integrou diversas equipes técnicas e foi expositora e debatedora em dezenas de seminários.

Coordenou o Grupo de Estudos Curriculares da Secretaria de Educação do Estado e trabalhou como analista de Assuntos Culturais da Fundação Cultural do Estado da Bahia, lotada na Biblioteca do Museu de Arte Moderna da Bahia.

De 1981 a 1986, atuou como secretária assistente e coordenadora de Ações Culturais da Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, no Rio Vermelho. Nesse período, participou do Projeto História do Bairro do Rio Vermelho, coordenado pela Fundação Cultural do Estado da Bahia. Foi também expositora do ‘Seminário Rio Vermelho, um Bairro em Debate’, promovido em 1986, pelo Núcleo de Extensão da Faculdade de Arquitetura da Ufba.

Como analista de Assuntos Culturais da Fundação Cultural do Estado da Bahia, voltou a trabalhar na Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, de 2007 até 2009, quando requereu a aposentadoria. No Rio Vermelho, bairro onde residiu durante muitos anos, foi fundadora, em 2 de abril de 1986, e primeira diretora cultural da Associação dos Moradores e Amigos do Rio Vermelho - Amarv.

Últimamente, como moradora, Eneida de Almeida Cavalcanti, participava da campanha pela manutenção do limites históricos do Rio Vermelho, conforme delimitação realizada em 1986, que teve  a sua colaboração como historiadora e diretora da Amarv. Estava também organizando o seu primeiro livro de poesias - Quatro Cantos do Rio Vermelho.

A professora, historiadora e poetisa faleceu em Salvador, no dia 5 de janeiro de 2013, aos 73 anos, sendo cremada no Cemitério Jardim da Saudade.

Salvador, 10 de janeiro de 2013.