Floriano Teixeira

Ubaldo Marques Porto Filho

Floriano de Araújo Teixeira nasceu em 8 de março de 1923, em Cajapió, no Maranhão. Ainda criança, a família muda-se para a capital, São Luís.

Em 1935, toma as primeiras aulas de desenho com o professor Rubens Damasceno. Do aprendizado, passa a pintar aguadas e a fazer desenhos para histórias em quadrinhos e caricaturas.

Em 1940, Floriano juntou-se a um grupo de pintores liderados por J. Figueiredo, que o incentiva a tentar a pintura de cavalete. Estuda e documenta tipos populares e cenas das docas de São Luís. No ano seguinte, expões pela primeira vez no I Salão de Dezembro e obtém o primeiro lugar com o quadro ‘Bêbados’.

Em 1948, o governador do Maranhão, Sebastião Archer da Silva, encarrega-o de fazer o levantamento e catalogação das gravuras, desenhos e pinturas da coleção Arthur Azevedo. Esta tarefa, dá-lhe a oportunidade de manuserar obras de Daumier, Gavarni,  Millet, etc., que muito lhe impressionam. Logo em seguida, participa da fundação do Núcleo Eliseu Visconti, atelier coletivo, quando descobre Portinari e se apaixona pela sua técnica.

Em 1950, Floriano Teixeira foi morar em Fortaleza, onde toma parte ativa no grupo local de artistas modernos e com Zenon Barreto, Antônio Bandeira e outros, funda o grupo dos Independentes. Em 1953, para a Companhia de Seguros Sul América, pinta um mural sobre a vida rural cearense e, em seguida, para o Cartório Martins, executa um painel com temática histórica.

Em 1962, a Universidade Federal do Ceará organiza o seu Museu de Arte e Floriano é convidado pelo reitor, Antônio Martins Filho, para dirigi-lo provisoriamente. Um ano depois, retorna com intensidade à pintura e vai participar de uma exposição de artistas cearenses em Salvador. Impressionado com a qualidade do seu trabalho, Jorge Amado adquire uma de suas obras e o convida a ficar na capital baiana.

Em 1965, Floriano passa a residir no Rio Vermelho, na Rua Ilhéus, no Parque Cruz Aguiar, mesmo loteamento em que o Jorge Amado residia. Paralelamente ao desenho e à pintura, ele desenvolve uma importante atividade na área da ilustração de livros. Ilustrou as capas dos 12 volumes da coleção ‘Obras Completas de Graciliano Ramos’, de vários livros de Jorge Amado e de outros escritores renomados.

Em 2000, no dia 21 de julho, aos 77 anos, Floriano Teixeira faleceu na capital baiana.

Salvador, julho de 2001.