Monsenhor Antônio da Rocha Vieira

Ubaldo Marques Porto Filho

Nascido em 30 de maio de 1924, na cidade baiana de Cruz das Almas, Antônio da Rocha Vieira ordenou-se sacerdote em 17 de junho de 1951. Após ter sido secretário particular do cardeal Augusto Álvaro da Silva, arcebispo da Bahia e primaz do Brasil, o jovem sacerdote foi designado vice-reitor do Seminário Central da Bahia.

Em 28 de abril de 1955, o Padre Vieira, como era chamado, tomou posse como pároco do Rio Vermelho. Mas, setenta e três dias depois, designado por dom Augusto Álvaro da Silva para uma outra missão religiosa, passou o cargo, no dia 10 de julho, para o padre Waldo Teixeira de Azevedo.

Todavia, por problemas de saúde, o Padre Waldo renunciou, provocando o retorno do Padre Vieira à titularidade da Paróquia do Rio Vermelho. Tomou posse em 1º de maio de 1956. Em 14 de abril de 1971 foi elevado à condição de cônego e em 21 de junho de 1973 passou a monsenhor.

Trabalhador incansável, o Padre Vieira realizou a proeza de construir a nova Igreja Matriz de Sant’Ana do Rio Vermelho, inaugurada no dia 26 de julho de 1967, exatos seis anos após a solene colocação da pedra fundamental e cinco anos depois de iniciada a construção.

Na manhã do dia 7 de agosto de 1974, aos 50 anos, o monsenhor Antônio da Rocha Vieira sofreu um enfarte logo após ter celebrado uma missa na igreja que havia edificado. Foi imediatamente socorrido pelos pescadores Flaviano dos Santos, comandante da Festa de Yemanjá, e Eulírio Menezes (Tenente), que o levaram para um posto de urgência médica localizado no próprio bairro do Rio Vermelho. Mas o pároco faleceu no caminho, dentro do automóvel de Tenente.

No Rio Vermelho, o monsenhor Antônio da Rocha Vieira exerceu o múnus pastoral por 18 anos. Seus restos mortais encontram-se depositados na Igreja Matriz de Senhora Sant’Ana, logo à direita de quem adentra ao templo pela porta principal.

Através da Lei Municipal nº 6.071, sancionada em 7 de janeiro de 2002, o logradouro nº 23.450, localizado entre a faixa da praia e a Rua Guedes Cabral, bem ao lado do Salão Paroquial da Igreja Matriz do Rio Vermelho, recebeu a toponímia de Praça Monsenhor Antônio da Rocha Vieira.

Fontes:
1.    Jornal do Rio Vermelho,
Nº 44 - Agosto de 2002.
2.    Livro ‘ 100 Anos da Paróquia do Rio Vermelho’
de Ubaldo Marques Porto Filho,
editado em 2013.