Ubaldino Gonzaga

Ubaldo Marques Porto Filho

Baiano de Entre Rios, nascido em 24 de dezembro de 1880, diplomou-se em ciências jurídicas e sociais. Em novembro de 1917 foi residir no Rio Vermelho, onde, em 1924, adquiriu a Chácara Lucaia, sua residência até o falecimento, aos 96 anos, em 14 de setembro de 1977.

Ubaldino teve participação ativa em importantes acontecimentos na vida do Rio Vermelho. Por exemplo, em 1922 liderou uma comissão - onde pontificavam o leiloeiro Júlio Soares da Cunha e os comerciantes Manoel Lopes de Azevedo Castro e José Taboada Vidal - que conseguiu o calçamento da Rua do Raphael, primeiro logradouro do bairro a receber tal beneficiamento. Ainda por sua iniciativa, em 1925 a Rua do Raphael passou a se chamar Rua João Gomes, em homenagem ao primeiro grande benemérito do Rio Vermelho.

Além de ter presidido a Comissão da Festa da Padroeira, Ubaldino foi o primeiro presidente do clube Rio Vermelho de Tênis, fundado em 25 de junho de 1923, localizado na antiga Chácara de João Gomes e dispondo de dois cortes (quadras), por onde, até o final desta década, passaram os melhores tenistas de Salvador. Era irmão da Irmandade da Gloriosa Senhora Sant’Anna do Rio Vermelho, sendo o juiz da Mesa Diretora em 1930.

Fora do Rio Vermelho, Ubaldino Gonzaga ficou conhecido como advogado renomado, como jornalista do Correio de Notícias e como político de projeção, que foi deputado estadual e federal. Quando a Revolução de 1930 irrompeu o encontrou no exercício de um mandato como senador estadual. No governo do interventor João Vicente Bulcão Viana, de outubro de 1945 a fevereiro de 1946, Ubaldino foi secretário da Fazenda.

Ubaldino Gonzaga pertenceu a várias entidades, dentre elas a Ordem dos Advogados da Bahia e a Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Bahia. Era chefe de um numeroso clã familiar, formado por dez filhos: Tarquínio, Renato, Estácio, Helena, Geraldo, Maria, Josefina, Manoel, Domício e José.

Fontes:
1. Livro ‘Rio Vermelho’,
de Ubaldo Marques Porto Filho,
editado em 1991.
2. Livro ‘100 Anos da Paróquia do Rio Vermelho’,
 de Ubaldo Marques Porto Filho,
publicado em 2013.